Ultimas

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Você sabia que Lavras da Mangabeira surgiu quando principiou a mineração no famoso vale do Cariri?


Histórico:

Lavras da Mangabeira surgiu quando principiou a mineração no famoso vale do Cariri, cuja área trabalhada abrangeu os lugares denominados Fortuna, Barreiros e Morros Dourados. É que, em meados do século dezoito, alguns mineradores vieram ter a Mangabeira, onde, como era natural naqueles tempos, se julgava
possível e rendosa a colheita de ouro.
O fato, como era óbvio, transformou a região de um momento para outro, surgindo, assim, movimentado arraial com população ávida e esperançosa de descobrir, ali, o sonhado e rico metal.
Os cronistas se referem, com certo entusiasmo, às precárias minas do Ceará Colonial, na quadra dos capitães-mores. A verdade, todavia, é que estas faladas minas não passaram de tentativas frustradas. Delas, porém, surgiram várias cidades, dentre as quais a que hoje é cabeça de comarca e sede progressista de um dos mais ricos municípios do Ceará.
O episódio histórico iniciou-se em 1712, quando o Governador de Pernambuco se interessou junto aos administradores do Ceará no sentido de iniciar a mineração no Cariri. Somente em 1752, Luís Quaresma 
Dourado, capitão-mor, seguiu em demanda de Missão Velha. Entrementes, é enviado de Pernambuco o sargento-mor Jerônimo Mendes da Paz, que se encarregaria de cobranças do quinto e de estabelecer a paz, visto como havia sérias inquietações nas cercanias da mineração. A notícia da cata ao ouro correu mundo e, aos milhares, afluíram ao local homens e mulheres. Houve, então, quem se pusesse a indagar sôbre supostas minas em outros pontos, mesmo mais longínquos e que reclamavam dias de penosas viagens. Não tardou a informação que correu célere: "Na Mangabeira há ouro pra peste."
Um mundo de ourives e de mineradores veio fazer residência no novel arraial que se levantava com casario 
de tapume, em forma de arruado. Tudo corria animadoramente quando, em 1758, chega a Icó a notícia da supressão das minas do Cariri. A Côrte de Lisboa reclamava impostos, pesados tributos, e uão sendo atendida, voltava-se contra o comércio do ouro. Em 1767 a medida se estendia para todo o Brasil e o próprio tempo se encarregava de deslocar os mineradores p~tra o labor da agricultura e da pecuária.
Mas Lavras de Mangabeira ficara como marcante sinal daquela época singular da nossa história. Surgira da mineração que fôra feita nos :;eus rios e arroios.
O povo deu ao antigo arraial vários nomes: Mangabeira, Lavras, São Vicente Férrer, São Gonçalo de Lavras. Ao correr dos anos, o lugarejo foi tomando ares de pequeno povoado progressista.

Formação Administrativa:

Distrito criado com a denominação de São Vicente Ferrer de Lavras de Mangabeira, por Resolução Régia, de 30-08-1813.
Elevado à categoria de vila com a denominação de São Vicente das Lavras, por Resolução Régia de 20-05-1816, desmembrado de Icó. Sede na povoação de São Vicente Ferrer de Lavras de Mangabeira. Instalado em 08-01-1818.
Pelo Ato Provincial de 17-03-1872, é criado o distrito de São Francisco e anexado a vila de São Vicente das Lavras de Mangabeira.
Elevado à condição de cidade com a denominação São Vicente das Lavras, pela Lei Provincial n.º 2.075, de 20-08-1884.
Pelo Ato de 27-07-1904, é criado o distrito de São José e anexado ao município de São Vicente Ferrer de Lavras de Mangabeira.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município denomina-se simplesmente Lavras é constituído de 3 distritos: Lavras, São Francisco e São José.
Pelo Decreto Estadual n.º 1.156, de 04-12-1933, são criados os distritos de Paiano, Riacho Fundo e anexados ao município de Lavras.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 5 distritos: Lavras, Paiano, Riacho Fundo, São Francisco e São José.
Pelo Decreto Estadual n.º 135, de 20-09-1935, o município de Lavras adquiriu o distrito de Ouro Branco do município de Baixio.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município é constituído de 6 distritos: Lavras, Ouro Branco, Paiano, Riacho Fundo, São Francisco e São José.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 448, de 20-12-1938, o distrito de São Francisco passou a denominar-se Rosário, distrito São José a denominar-se Mangabeiras e Paiano a denominar-se Arrojado.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município de Lavras é constituído de 6 distritos: Lavras, Arrojado (ex-Paiano), Mangabeiras (ex-São José), Ouro Branco, Riacho Fundo, Rosário (ex-São Francisco).
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 1.114, de 30-12-1943, o município de Lavras passou a denominar-se Lavras da Mangabeira, o distrito de Riacho Fundo a denominar-se Iborepi, Rosário a denominar-se Quitaiús e Ouro Branco a denominar-se Amaniutuba.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 6 distritos: Lavras da Mangabeira, 

Amaniutuba (ex-Ouro Branco), Arrojado, Iborepi (ex-Riacho Fundo), Mangabeira e Quitaius (ex-Rosário).
Pela Lei Estadual n.º 6.621, de 26-09-1963, é desmembrado do município de Lavras da Mangabeira o distrito de Mangabeira. Elevado à categoria de município.
Pela Lei Estadual n.º 6.622, de 26-09-1963, é desmembrado do município de Lavras da Mangabeira o distrito de Amaniutuba. Elevado à categoria de município.
Pela Lei Estadual n.º 6.962, de 19-12-1963, é desmembrado do município de Lavras da Mangabeira o distrito de Arrojado. Elevado à categoria de município.
Pela Lei Estadual n.º 6.969, de 19-12-1963, desmembrado do município de Lavras da Mangabeira o distrito de Quitaiús. Elevado à categoria de município.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 2 distritos: Lavras de Mangabeira e Iborepi.
Pela Lei Estadual n.º 8.339, de 14-12-1965, o município de Lavras de Mangabeira adquiriu os extintos municípios de Amaniutuba, Arrojado, Mangabeira e Quitaiús como distritos, pois foram criados e não instalados.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o município é constituído de 6 distritos: Lavras de Mangabeira, Amaniutuba, Arrojado, Iborepi, Mangabeira e Quitaiús.
Assim permanecendo em divisão territorial datada 2007.

Fonte: Lavras da Mangabeira (CE). Prefeitura. 2014. Disponível em: http://www.lavras.ce.gov.br. Acesso em: jun. 2014.

Área da unidade territorial947,968km²
Estabelecimentos de Saúde SUS13estabelecimentos
Índice de Desenvolvimento Humano Municipal - 2010 (IDHM 2010)0,613 
Matrícula - Ensino fundamental - 20124.973matrículas
Matrícula - Ensino médio - 20121.159matrículas
Número de unidades locais383unidades
Pessoal ocupado total2.245pessoas
PIB per capita a preços correntes - 20114.341,72reais
População residente31.090pessoas
População residente - Homens15.568pessoas
População residente - Mulheres15.522pessoas
População residente alfabetizada20.901pessoas
População residente que frequentava creche ou escola9.761pessoas
População residente, religião católica apostólica romana27.929pessoas
População residente, religião espírita56pessoas
População residente, religião evangélicas2.114pessoas
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Rural127,50reais
Valor do rendimento nominal mediano mensal per capita dos domicílios particulares permanentes - Urbana226,40reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Rural733,57reais
Valor do rendimento nominal médio mensal dos domicílios particulares permanentes com rendimento domiciliar, por situação do domicílio - Urbana1.158,38reais
Fonte:IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística


Postar um comentário

 
Copyright © 2013 Lavras na Mídia - Onde você se conecta! - Lavras da Mangabeira/CE